Marketing digital: os novos cargos e o desafio de encontrar profissionais qualificados

O universo virtual revolucionou o mercado e novas profissões surgiram (e ainda surgem). Porém, os colaboradores não estão sendo qualificados com a mesma rapidez desta evolução. Assim, além dos entraves nas contratações, as empresas precisam investir na capacitação pós-contratação.

Um mercado cada vez mais tecnológico e digital. Se a busca por profissionais qualificados sempre foi um dos maiores desafios para os empresários, o que dizer agora, em que novas carreiras surgiram para atender nichos específicos de negócios? As empresas da Era Digital precisam contratar profissionais atualizados e com habilidades específicas, que atendam as necessidades de empresas e consumidores. E esse tem sido o maior obstáculo dos empreendedores.

O relatório global “The Digital Talent Gap – Are Companies Doing Enough?”, que tratou sobre a carência de talentos digitais, apresentou que 54% das organizações participantes da pesquisa acreditam que os programas de transformação digital estão atrasados por falta de colaboradores com as habilidades necessárias. O estudo foi realizado pela consultoria Capgemini em parceria com o LinkedIn, entre junho e julho de 2017, com 501 empresas de nove países: Alemanha, Espanha, Estados Unidos, França, Holanda, Índia, Itália, Reino Unido e Suécia.

No Brasil, este cenário não é diferente. Com o crescimento do marketing digital no País, novos cargos surgiram, como por exemplo: business developer, customer success, cientista de dados, programador mobile, engenheiro de software, gestor de tráfego social (Facebook, LinkedIn, Twitter); gestor de tráfego pago (Facebook Ads, Google Ads, Bing Ads, UOL Cliques, Taboola, Outbrain); designer UX e designer UI, analista de lançamentos; videomaker com ênfase em marketing; analista de marketing de resposta direta, entre outras. Dessa forma, os profissionais precisam se adaptar e buscar o conhecimento para atender às novas necessidades desta área bastante promissora.

De acordo com o CEO & Founder da TurboMKT – Plataforma de Negócios Online – Edson Moreira, as empresas de tecnologia geram mais oportunidades para essas novas profissões no mercado de trabalho, porém, infelizmente, ainda não existem cursos que estejam alinhados à essas tendências, o que dificulta as novas contratações. “A velocidade do crescimento do marketing digital impacta na grade dos cursos existentes. Na TurboMKT, optamos por buscar colaboradores com algumas habilidades técnicas e muito potencial e, a partir daí, nós capacitamos internamente essa pessoa. Ou seja, investimos na preparação do colaborador após a contratação”, comentou Moreira, que acrescentou. “Acredito que, por enquanto, desenvolver as competências necessárias para atuar no marketing digital é uma tarefa para as empresas de marketing, e não para as escolas. É preciso ter conhecimento prático de como funciona o mercado, para então, capacitar as pessoas de acordo com as tendências que chegam ao País”.

Tão embora exista essa dificuldade na contratação deste novo perfil de profissional, é importante que nenhum dos lados – empresa e colaborador –, desista dos objetivos traçados. Lapidar este caminho é uma experiência importante e enriquecedora. Logo, para aqueles que estão em início de carreira ou para os mais antigos, algumas dicas são válidas:

“É preciso ser flexível às mudanças; buscar conhecimento todos os dias sobre o assunto; desenvolver as tarefas com paixão verdadeira, focar nos resultados e buscá-los. Desapegar de tudo o que aprendeu ontem (talvez não seja mais tão necessário)”, aconselhou Moreira. Ao passo que novas profissões surgem, outras deixaram de existir. Segundo o Fórum Econômico Global, 65% das crianças que hoje estão no primário, trabalharão com empregos que ainda não existem. Ou seja, é preciso estar conectado para acompanhar o mundo.

 

 

 

Fonte: segs

WhatsApp chat